Porto de Mós

Município de Porto de Mós

O Concelho de Porto de Mós com cerca de 264km2 e 24500 habitantes é de média dimensão e situa-se no seio da região centro do país, sendo um dos dezasseis concelhos do distrito de Leiria.Encontra-se a cerca de 100 km de Lisboa, 20 km de Fátima, 25 km da Nazaré e a 20 km da sede do distrito. É limitado a Norte pelo concelho da Batalha, a Sul pelos concelhos de Alcanena, Santarém e Rio Maior, a Nascente pelo concelho de Ourém e a Poente pelo concelho de Alcobaça. As suas fronteiras situam-se a curtíssima distância dos dois principais eixos rodoviários nacionais: a A1, a Nascente, e a A8, a Poente. A comunicação privilegiada entre estas duas importantes vias faz-se, igualmente, através do IC9 que rasga o concelho de Poente a Nascente, tocando os limites da vila e também pela A19. Porto de Mós encontra-se, assim, ligado à principal rede viária nacional possibilitando, de forma fluida e atractiva, a circulação de pessoas e bens. É a própria localização privilegiada do concelho, inserido numa das regiões mais dinâmicas do país, próximo das grandes vias de acesso terrestre, que se constitui como um factor potenciador não só do seu desenvolvimento como, também, do seu relacionamento com o mundo exterior, num contexto de modernidade.

Há cerca de 100 mil anos, os antigos leitos do rio Lena acolheram os primeiros povos pré-históricos. Foi no seio das terras férteis deste vale que os diferentes povoados se foram implantando, intensificando a circulação de pessoas e bens, justificando a toponímia deste local, enquanto ponto fundamental na rede viária da região. Porto de Mós, o “porto das mós”, como tradicionalmente se define, denuncia claramente a relação com o cais de embarque, ao mesmo tempo que reforça a capacidade inovadora relacionada com o desenvolvimento de tecnologias rurais da moagem em azenhas e, mais tarde, em moinhos de vento, com as suas costumadas mós, elementos simbólicos que virão, aliás, a ser aproveitados para a representação da própria vila, na definição da sua heráldica.
A “...vila forte...”, como Camões a designa na estância 16 do canto VIII d’ “Os Lusíadas”, está intrinsecamente associada à figura lendária de D. Fuas Roupinho, alcaide-mor do castelo desta terra, brilhante figura, tido, por alguns, como meio irmão de D. Afonso Henriques ou filho bastardo, ao serviço de quem, em 1180, havia de conseguir, estoicamente, reconquistar a fortaleza aos mouros.
Pertença dos coutos do Mosteiro de Alcobaça, Porto de Mós, ao longo de toda a época medieval, observa um crescendo de importância. Dotada de uma significativa organização a nível administrativo e institucional, na centúria de duzentos, a vila de Dom Fuas afirma-se, ao longo dos séculos XIII e XIV, com a atribuição da carta de foral, em 1305, por El-Rei Dom Dinis, confirmada por D. Manuel, em 1515, reafirmando a solidez de usos e costumes enraizados desde há muito, agora consubstanciados na definição de obrigações e privilégios.
Propriedade da rainha Santa Isabel, garantia de núpcias, estas terras foram, igualmente, cedidas à rainha D. Beatriz e, posteriormente, ao seu neto, D. João, filho de D. Pedro e D. Inês de Castro; indissociável da memória colectiva por ser o local de encontro entre D. João I e D. Nuno Álvares Pereira, o Santo Condestável, a quem, aliás, em 1385 é doado este condado, Porto de Mós foi o palco na preparação das hostes para a Batalha Real, dita de Aljubarrota; pertença da Casa de Bragança, a vila surge-nos como uma fonte imensa de curiosidades históricas que vale a pena procurar conhecer.
 

O Concelho de Porto de Mós alberga, em si, um património bastante diversificado, capaz de dar resposta e de satisfazer as novas motivações do turista de hoje que assentam, essencialmente, na conjugação de diferentes áreas de interesse, como a cultura, o património histórico, o turismo de natureza e de lazer e a gastronomia.
O turista de hoje viaja para melhorar a sua qualidade de vida, procurando destinos cujo cartão-de-visita lhe ofereça um potencial turístico com história e vivências que reflictam a magia das raízes de um povo e de uma região, assumindo grande relevo as propostas de partilha do conhecimento dessas gentes, desses lugares e dos seus recursos endógenos. O Concelho de Porto de Mós, dotado de um potencial turístico enorme, alberga belezas naturais diversificadas, com expoente máximo na eleita maravilha Grutas de Mira de Aire, espelho de um conjunto belíssimo e vasto, no qual se incluem as Grutas de Alvados e as Grutas de Santo António. De destacar, ainda, a Fórnea, um anfiteatro natural, enriquecido pelas cascatas da Cova da Velha e a flora e fauna, tão características do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros. Nocoração desta reserva natural, Porto de Mós surge como um palco privilegiado para o usufruto do turismo de natureza e para a prática de desportos ao ar livre. Provas de BTT, downhill, escalada ou trilhos de percursos pedestres, animam as serras. A antiga linha de caminho-de-ferro, convertida em Ecopista,é disso exemplo recebendo, diariamente, centenas de visitantes, num simbiose perfeita entre a história e a natureza.
Do património histórico, realce para o seu castelo de traça palaciana, também para o Campo Militar de S. Jorge,prolongado pelo Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota, para a Estrada Romana do Alqueidão da Serra, entre outros pontos de interesse que, aliados à boa gastronomia local e à oferta de alojamento diversificada, concebem Porto de Mós como um destino justificado para uma visita.
Cientes de que oturismo se apresenta como uma actividade económica de grande impacto na qualidade de vida das sociedades contemporâneas, pretendemos, sobretudo, dar a conhecer melhor o Concelho de Porto de Mós, contribuindo para o bem-estar das nossas populações e de quem nos visita, não esquecendo nunca que são as acções dos homens que imprimem vida aos lugares.Seja Bem-vindo a esta Terra de Encantos!
 

Presidente da Câmara Municipal - João Salgueiro

Contactos:
Praça da República
2484-001 PORTO DE MOS

Telefone: 244499600
Fax: 244499601

E-mail: This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Mais informações em www.municipio-portodemos.pt

Pombal

Município de Pombal

O concelho de Pombal apresenta características singulares resultantes de uma pitoresca conjugação do seu território que se estende desde a serra até ao mar. A sua paisagem conjuga o cenário montanhoso da Serra da Sicó, em contraste com a mancha verde da Mata do Urso, que esconde a praia dourada do Osso da Baleia. Terra de gente ilustre, nela respira-se uma história secular, rica em tradições e misticismo, com destaque para as freguesias de Abiul, Louriçal, Redinha e Pombal, todas com foral antigo e reconfirmado por D. Manuel I detentoras de um património monumental classificado.

 

Por entre a sua paisagem observa-se no concelho de Pombal o cenário montanhoso da Serra da Sicó, que esconde verdadeiras riquezas naturais e nos delícia com a rusticidade do seu rico património arquitetónico, contrastando com a leveza no olhar que nos proporciona a praia do Osso da Baleia, que escondida pela verde mancha da secular Mata do Urso, se estende até à linha do horizonte.

 

Uma terra de concelhos, se nos reportamos aos tempos em que dentro dos seus limites existiam quatro concelhos: o de Abiul, o de Louriçal, o de Redinha e o de Pombal, todos com foral antigo e reconfirmados por D. Manuel I e com património monumental classificado.
Do seu vasto património destacamos, na cidade, o seu castelo templário, símbolo da consolidação do território nacional e origem de Pombal, bem como a zona histórica onde ressalta a Igreja de São Martinho, local onde se assinaram as pazes entre D. Dinis e seu filho D. Afonso IV, por intermédio da Rainha Santa Isabel, primorosamente enriquecida por um belíssimo retábulo renascentista atribuído ao escultor João Ruão, ou ainda a presença marcante do Marquês de Pombal, projetada no seu Celeiro e Casa da Câmara, hoje museus municipais.

Presidente da Câmara Municipal - Luís Diogo de Paiva Morão Alves Mateus

Contactos:
Largo do Cardal
3100-440 POMBAL

Telefone: 236210500
Fax: 236210503

E-mail: This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Mais informação em www.cm-pombal.pt
 

Marinha Grande

Município da Marinha Grande

O Concelho da Marinha Grande situa-se no centro do distrito de Leiria, ficando a 10 km do mar (no limite norte da Estremadura) e a 12 km a poente da sede de distrito. Dista 147 km de Lisboa e 196 km do Porto. É servido por várias estradas nacionais e autoestradas (A8 e A17) e pela via-férrea do oeste. É composto por três freguesias: Marinha Grande, Vieira de Leiria e Moita. Atualmente, as principais indústrias que movem o concelho da Marinha Grande são a indústria do vidro, transformação de madeiras e, principalmente, dos moldes e plásticos. A atividade turística está em crescimento, beneficiando das boas condições climatéricas e das praias magníficas.


A indústria de moldes deverá continuar a ter um peso determinante na estrutura económica local, sobretudo pelo elevado grau de qualificações que exige mas que lhe tem permitido corresponder positivamente a mercados extremamente competitivos, em áreas tão diversas como as indústrias automóvel e aeronáutica ou a biomedicina.
A indústria vidreira deverá manter o seu papel relevante em termos económicos, com particular referência para a produção de vidro de embalagem, que regista, neste momento, uma dinâmica exportadora.

 

O concelho da Marinha Grande apresenta uma expressiva beleza natural, resultante da trilogia pinhal, ribeiro e oceano. Esta imensa diversidade constitui o principal atrativo da região, única do género em Portugal. A grande singularidade e qualidade do seu património Natural, Cultural e Industrial, conferem-lhe condições de exceção para uma descoberta que associa o Turismo de Natureza ao Cultural e ao de Negócios.
As características geográficas e geológicas da região condicionaram irreversivelmente a evolução da zona que, em paralelo com o oceano atlântico, forma a mata de pinheiro bravo mais imponente do país – o famoso Pinhal do Rei, com 11023ha - onde se podem encontrar as dunas mais altas da península ibérica, com 70 metros de altura.
Esta diversidade natural, em paralelo com o património histórico, enriquece e define o concelho. O Património Stephens é constituído por um conjunto de edifícios e equipamentos, bens artísticos, arquitetónicos e arqueológicos, móveis e imóveis, que remontam a 1747/48, pertença do Estado Português desde 1826 e que foi doado à Câmara Municipal da Marinha Grande em 11 de Julho de 1994.
Fazem parte deste conjunto o Palácio Stephens, atual Museu do Vidro, e o jardim tardoz, classificados como Imóvel e Jardim de Interesse Público. A nascente, os edifícios da frontaria do complexo fabril do século XVIII e o Teatro Stephens, atual Casa da Cultura, e a poente o edifício da Biblioteca Municipal da Marinha Grande.
Em São Pedro de Moel, o visitante encontra a Casa Museu Afonso Lopes Vieira, casa que outrora pertenceu ao ilustre escritor que se distinguiu como poeta, tendencionalmente tradicionalista, patriota e defensor dos valores nacionalistas. Mais a norte o imponente Farol, conhecido como o Farol do Penedo da Saudade, destaca-se na paisagem. Já na freguesia de Vieira de Leiria a Arte Xávega representa ainda hoje um elemento marcante.
O Turismo Industrial é outra das apostas fortes do concelho da Marinha Grande. Os circuitos industriais projetam a cidade através de uma nova dimensão turística que pretende juntar dois setores distintos: a indústria e o turismo.
A diversidade e riqueza da gastronomia do local, bem como o bom gosto pela cultura de boa mesa, fazem com que seja fácil encontrar no concelho um local onde comer bem. Quem nos visita não pode deixar de provar o arroz de marisco da Praia da Vieira, eleito em 2011 como uma das 7 maravilhas da gastronomia portuguesa.
 

Presidente da Câmara Municipal - PauloPaulo Jorge Campos Vicente

Contactos:
Praça Guilherme Stephens
2431-960 MARINHA GRANDE

Telefone: 244573300
Fax: 244561710

E-mail: This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Mais informação em www.cm-mgrande.pt


 

Pedrógão Grande

Município de Pedrógão Grande

Pedrógão Grande, situa-se no extremo noroeste do distrito de Leiria, quase no centro geográfico de Portugal, com uma área aproximada de 129 Km2, repartidos por três freguesias; Pedrógão Grande, Vila Facaia e Graça, inserido no agrupamento de concelhos do Pinhal Interior Norte, fazendo parte da Região Centro. Confina com os concelhos de Castanheira de Pera, Góis, Sertã, Figueiró dos Vinhos e Pampilhosa da Serra. Este enquadramento regional, permite que atualmente o concelho beneficie da proximidade de uma diversificada rede de acessibilidades podendo desta forma estabelecer fáceis ligações com os outros concelhos e centros urbanos vizinhos.
Pedrógão Grande é um concelho cujas paisagens deslumbrantes da serra e as águas límpidas dos seus recursos hídricos, aliadas a uma abundante biodiversidade formam uma rara beleza natural que constitui inegavelmente um convite a uma pausada visita.
 

O concelho de Pedrógão Grande é uma das regiões do País onde a beleza natural, os costumes e tradições populares, aliadas à pureza dos ares e das águas se mantêm, ainda sem a poluição do progresso descontrolado. As paisagens são dinâmicas, com características distintas e com fortes potencialidades turísticas.
É uma vasta região de granitos e xistos incrustada nas bacias dos rios Zêzere e Unhais e ribeiras de Pera e Mega, hoje aumentada pelas albufeiras de duas grandes barragens, a do Cabril e a da Bouçã. O clima, que antigamente era de características continentais, de invernos rigorosos e verões tórridos e secos, é hoje muito mais ameno, influenciado pelas duas grandes Albufeiras, que são também zonas piscícolas muito ricas (achigã, truta, barbo, boga). Pedrógão Grande encontra-se integrado na Zona do Pinhal Interior Norte, a maior mancha florestal da Europa, onde predominam os pinheiros, eucaliptos, acácias e oliveiras que assumem grande importância na economia local.

Visitar Pedrógão Grande, é uma excelente opção para quem quer estar em contacto com a natureza e a tranquilidade do mundo rural, a par de uma riqueza histórica considerável. Estas características fazem também as delícias dos mais radicais pois tornam o concelho numa zona ideal para a prática de desportos que privilegiem o contato com a natureza e com a aventura.
Atualmente é fácil chegar a esta região, sobretudo desde a construção do IC8 e de um conjunto de infraestruturas de rede viárias recentes e significativas em relação aos principais eixos e pólos nacionais que melhoraram a acessibilidade à região de Pedrógão Grande, promovendo assim, mais-valias e potenciais implicações diretas nos cenários de desenvolvimento do concelho.

Pedrógão Grande apresenta-se num momento de oportunidades e num processo de transformação e desenvolvimento, com vista à promoção de novas dinâmicas e potencialidades locais que pretendem ser o reflexo duma tendência clara contra a desertificação humana. É um concelho que promove a aliança entre um crescimento económico e a preservação e valorização do seu meio ambiente, de uma forma integrada e sustentável para todos, quer para os seus habitantes quer para os visitantes.

Presidente da Câmara Municipal - Valdemar Gomes Fernandes Alves

Contactos:
Largo da Devesa
3271-909 PEDRÓGÃO GRANDE

Telefone: 236480150
Fax: 236480159/158

E-mail: This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Mais informações em www.cm-pedrogaogrande.pt

 

Leiria

Município de Leiria

O concelho de Leiria, apontado como exemplo de economia pujante e dinamismo empresarial, tem no comércio, agropecuária e indústrias de cerâmica, plásticos, moldes e cimento a sua principal sustentabilidade.

Com mais de 125 mil habitantes, Leiria é servida por quatro autoestradas (A1, A8, A17 e A19) e uma via de caminho-de-ferro, a Linha do Oeste.

O castelo, que data de 1135 e no qual chegou a residir o rei D. Dinis, e as Termas de Monte Real são dois polos que, a par da Praia do Pedrógão e do Abrigo do Lagar Velho (“Menino do Lapedo”) – sepultura infantil com perto de 25 mil anos indicado para monumento nacional -, concentram boa parte da atração turística do município.

No concelho fica também localizada a Base Aérea n.º 5 de Monte Real, na qual são preparadas missões sobretudo ao nível da Defesa Aérea e Ataque Convencional.

O Instituto Politécnico de Leiria é a instituição de ensino superior de maior relevância no distrito, possuindo cerca de 12 mil estudantes e quase um milhar de docentes espalhados por cinco escolas.

Segundo dados do último Censos, Leiria regista um índice de envelhecimento abaixo da média nacional.

Conquistado aos mouros por D. Afonso Henriques, em 1135, o castelo de Leiria é um dos ícones culturais e patrimoniais da cidade e do concelho, exibindo sobre a cidade um conjunto arquitetónico que integra o palácio real quatrocentista, a torre de menagem, a Igreja de Santa Maria da Pena, o espaço da antiga Colegiada, bem como os celeiros medievais e muralhas exteriores.

Bem perto, o município de Leiria deu morada a um dos grandes investimentos culturais em Leiria este século, o m|i|mo - museu de imagem em movimento, um espaço premiado em 2011 pela Associação Nacional de Museologia com uma menção honrosa na categoria de Melhor Museu Português e que acolhe eventos dedicados ao cinema e à fotografia.

No centro histórico, onde pontifica a emblemática Praça Rodrigues Lobo, a chamada “Rua Direita” tem nas suas “margens” o Centro Cívico de Leiria, local onde desaguou uma homenagem a Eça de Queiroz. Inaugurado em Outubro de 2012, da autoria do arquiteto Gonçalo Byrne, representa não só um pilar estratégico para a afirmação de Leiria como terra de escritores, mas também um espaço de encontro geracional, com atividades dirigidas a jovens e pessoas de terceira idade.

À boleia do percurso desenhado pelo Programa Polis, é possível descobrir outra obra de arte, desta feita imaginada pelo arquiteto Álvaro Siza Vieira. Chama-se Moinho do Papel e resulta da recuperação e reabilitação do antigo moinho da cidade, no qual se preserva a memória de artes e ofícios tradicionais inerentes a este património sócio-cultural, nomeadamente: moagem do cereal (milho, trigo e centeio) e produção artesanal do papel.

Para conhecer e apreciar Leiria, há ainda que percorrer um circuito que integre passagens pela Igreja da Misericórdia, Sé e Praça Rodrigues Lobo, na zona histórica, apreciar a altivez barroca da Igreja do Convento de Santo Agostinho, admirar a Igreja de São Pedro e parar no panorâmico Santuário de Nossa Senhora da Encarnação.

A grande sala de espetáculos de Leiria é indiscutivelmente o Teatro José Lúcio da Silva, mas o Teatro Miguel Franco, no Centro Cultural Mercado de Sant’Ana, é outros dos palcos incontornáveis da cidade nas diversas artes do espetáculo, com destaque para a dança, teatro, música e cinema. 

Outro dos espaços emblemáticos é o renovado estádio municipal Dr. Magalhães Pessoa. Sujeito a obras de remodelação com a finalidade de acolher jogos de futebol do campeonato europeu de selecções em 2004, o estádio manteve a sua pista de atletismo. Um investimento justificado pela regular organização de provas internacionais, mas também pelo desempenho de excelência protagonizado pelos clubes e atletas de Leiria, que dispõem ainda do Centro Nacional de Lançamentos, junto ao estádio, numa das margens do rio Lis.

Presidente da Câmara Municipal - Raul Miguel de Castro

Contactos:

Largo da República
2414-006 LEIRIA
Telefone: 244839500
Fax: 244839562

E-mail: This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Mais informações em www.cm-leiria.pt
 

 

 

Contactos

Morada: Edifício Maringá, Torre 2 - 2º andar, 2400-118 Leiria

Telefone: 244 811 133

Email: cimrl@cimregiaodeleiria.pt

Localização